Fada das Cores

Fada, fadinha,
Eu só queria colorir ainda mais
de todo colorido
as mesmas cores que já vi.

Lápis sem ponta
não desenha avião, nem nuvem...
Lápis sem ponta
não vale nada em minha mão.

Fada, fadinha,
queria saber
quais cores pintam a minha vida,
meus brinquedos, minha alegria...

Sem saber das cores,
exatamente as cores que me desenham,
sobra só o que sinto,
sobram só as cores que imagino...

Amarelo feliz ou vermelho nervoso,
rosa apaixonado ou verde tranquilo,
laranja agitado ou preto triste,
são as cores da minha imaginação...

Fada, fadinha,
empresta sua aquarela
porque nasci para colorir vidas,
pelo menos foi isso que ela achou quando me viu...

Caroline Soreli Salesi
Momento infantil daquela criança que sabe que colore a vida da mãe...

1 comentários:

Dani Pires Vellozo disse...

Adorei o texto, Carol!
Muito legal!!!
Posso usá-lo para fazer um LO??
Beijos.