Apenas alguns pensamentos de mãe...

Que raio minha mãe desejava nos meus aniversários que eu não consigo me lembrar? Pensando na fase adulta eu me lembro de todos os votos de felicidade que ela já me deu, desejou e muitas vezes rezou baixinho para nem mesmo eu escutar. Pensando na infância não consigo me lembrar mas acredito que era do mesmo jeito. Meu filho estará completando 6 anos de vida no começo de julho. Ele já fala, já lê e escreve. Escolhe a roupa que quer vestir e sabe direitinho a marca que mais gosta. De me olhar ele sabe quando estou triste ou feliz e ainda mais, ele sabe definir se o motivo é ele ou não. Aprendeu faz tempo a dizer onde dói e a reclamar de algo quando não está agradando. Parece que foi ontem e ele já tem a sua turminha de amigos, já elegeu suas pessoas favoritas e sabe demonstrar isso direitinho. E pensar que antes bastava vir com saúde que já estava de bom tamanho. Com um filho beirando os seis anos o que posso desejar? As melhores escolas? Talvez as melhores oportunidades, os melhores amigos, a isenção de qualquer tipo de sofrimento? Quando for maior talvez eu queira que ele se interesse por uma menina de família e oras bolas pensando aqui com meus botões, de família todos nós somos. Podia até acrescentar que além de ser de família que fosse a mais bonita e doce de todas as criaturas do mundo. Pode ser que eu cisme com alguma profissão perfeita ou que idealize coisas que na verdade não sei nem como serão. Será que ele vai gostar de cair na noite, tomar todas e ter um milhão de namoradas? Ou será que ele vai ser daqueles moços quietos e tímidos que mal abrem a boca para opinar sobre algo? Será hetero, homo ou tudo junto? Eu vou saber lidar com esse monte de questões? Fico ainda na dúvida sobre o que desejar... No final das contas mãe que é mãe deseja o melhor para o seu filho e na hipocrisia dos dias esquecemos de desejar o melhor para todos. Como posso querer as melhores oportunidades se não desejar que todos tenham suas chances. Como posso desejar a menina mais bonita sem desejar que a família dessa menina não faça dela apenas uma moldura com nada na cabeça? E os amigos? Tenho certeza que vou precisar desejar em dobro para que se um anjo passar as coisas corram a mil maravilhas. Entre os desejos para o meu e os desejos para o próximo ainda acredito que tendo saúde já está de bom tamanho pois onde estará o sentido das coisas se não for assim? Se faltar saúde vou precisar de todas as pessoas que lembrei de desejar o melhor e caso eu esqueça de desejar o bem para todos, na falta de saúde não terei ninguém... Fica aqui a dica!
Foto tirada em um momento de brincadeiras no parque em um desses anos que passaram.
O texto acima é meu e faz parte de uma série de sentimentos de mãe. Desculpe se invado o blog colorido hoje para falar alguns pensamentos. Esse blog não é somente um blog comercial mas uma extensão da minha vida. Hoje não mostro scrapbooking mas o scrapbooking veio depois de todos os meus pensamentos e sentimentos e se não houvesse nada disso, nem mesmo a primeira postagem sobre scrapbooking teria acontecido :). Beijos da Carol

8 comentários:

LucianaW disse...

Lindo Carol, super interessante seu texto e gosto muito das suas expressões...tu inspira e ajuda, pode acreditar!
Bjokas e bom jogo!

BasicArte Scrapbook disse...

Ai Carol sua doida! Adoro suas filofias kkkkk bjaoooo

Cláudia disse...

Carol, tudo bem?
Passei para te dar um recadinho da Mayumi. Ela foi para a maternidade e pediu para te avisar. Disse que o que vc pediu ja esta engatilhado e assim que voltar pra casa, fala contigo, ok?
Mil beijocas

Ingrid disse...

Nossa Carol que lindo! demoro pra passar aqui, mas sempre que chego vejo as suas lindas palavras e me emociono... lindo mesmo!! bjinhosss

Manunamoral disse...

Que fofoooooooooo.

Parabens pra o seu baby.

Ohh vou voltar com tudo no próximo mês de brincadeira tá..Saudades.

Obrigada por todas as mensagens de incentivo viu.

Frô, desculpa a ausencia é essa vida de mulher multifuncional que nos obriga a ficar longe das pessoas que nos gostamos.

Sumemooooooo.

Bjotas sonoras.

Luzia Ishara disse...

amiga, esse é seu tesouro mais precioso, pode ter certeza disso!
Adoro ele!
bjs

Déa Tani disse...

Que inspiraçao Carol! Vc escreve muito bem sobre seus sentimentos! E falar de sentimentos pra maioria é tão complicado e vc faz com tanta sutileza...Essa mistura no seu blog é o que garante esse sucesso todo e o que me faz voltar todos os dias pra ler/ver o que tem de novo.
Bjks!
Déa

Vivi Morais disse...

Oi Carol... que lindo este seu texto... suas palavras...
Não sou mãe, mas acompanhei o crescimento dos meus primos (hoje entre 19 e 22 anos) e agora acompanho os filhos de minhas primas (03 meses, 1,2 e 6 anos)e me emociono a cada etapa conquistada por eles e acabo fazendo planos também (como ter um médico na família para cuidar de nós mais tarde... kkk)...
Mas, com certeza, sem a saúde nada somos. Falo por experiência própria, em um momento que tenho uma doença (ao menos todos a chamam assim) e não consigo entendê-la. Todo dia estou atrás de uma vitória sobre ela e vejo como é difícil... e mesmo sentindo o que sinto, e muitas vezes esquecendo de desejar o melhor para quem está ao meu lado, em nenhum momento desejaria isso para quem quer que fosse; E ao ler suas palavras, vejo que talvez esteja faltando estes desejos dentro de mim para eu conseguir vencer mais um dia...

Por isso, Carol, neste momento desejo muita saúde e paz para você; Que seus sonhos e desejos aconteçam no tempo certo para você poder aproveitá-los...

E quanto às crianças... ahhhh... acho que nunca iremos parar de ter sonhos e desejos para com eles e para eles...

BJs
Viviane